A galáxia muito, muito distante passa por um período conturbado após o lançamento de Star Wars – Os Últimos Jedi (2017) e Solo – Uma História de Star Wars (2018), onde os fãs se dividiram com críticas mais negativas do que positivas em relação a saga. Isso gerou dúvidas sobre o futuro de Star Wars, e muitos desacreditaram que a Disney poderia trazer novamente a essência do universo da franquia e unir os fãs novamente. E para a nossa alegria, estreou no serviço de streaming do Mickey — o Disney+ — a série em live-action de Star Wars, The Mandalorian, que com seu primeiro episódio nos deu uma nova esperança de esperar boas novas para a franquia.

A nova série, vinda da mente de Davi Filoni e Jon Favreau, inicia com um episódio “piloto” muito competente, embora mais curto do que o esperado, apresentando características de todos os filmes antigos da saga. Com cenários e efeitos especiais que nos remetem de volta aos episódios originais e os prequels, fazendo com que os fãs antigos se sintam familiarizados e esperançosos com a nova série. A trama se passa entre o episódio VI O Retorno de Jedi após a queda de Darth Sidious, e o episódio VII O Despertar da Força, onde acontece a reorganização da galáxia que culminará na nova trilogia. Com isso, a história consegue prender tanto os antigos fãs, como os novos.

Interpretado por Pedro Pascoal (Game of Thrones), o protagonista Mandaloriano, traz as características de um pistoleiro de clássicos de Western, tão audacioso quanto misterioso, o personagem impõe sua presença mesmo com poucos diálogos durante o episódio, fazendo com que a série retome as referências que George Lucas havia planejado em seus filmes originais, onde preza atmosfera de faroeste acima da escala épica que existe na franquia atualmente, mantendo a narrativa acessível, porém empolgante, assim como os primeiros momentos em que entramos na saga em Tatooine.

O primeiro episódio introduz seu protagonista com eficiência e prepara a trama para a temporada com um gancho final que deixará os fãs felizes e com seus corações aquecidos. O famoso fan-service acontece em várias referências no decorrer do episódio, principalmente quando apresenta a unidade IG, que atua ao lado do protagonista fazendo uma ótima cena de ação com alívios cômicos, que marcam os blockbusters. Os breves acontecimentos deste episódio, indicam que a série pretende construir sua própria história, sem depender de conexões com os filmes, porém, nada impede Davi Filoni de incluir elementos das séries animadas onde o mesmo foi diretor de inúmeros episódios.

The Mandalorian, pode ser o começo de uma nova era para a saga Star Wars, e se manter a qualidade do “piloto”, podemos esperar grandes lançamentos vindos pela Disney, que felizmente começa com um grande entusiasmo que a saga tanto mereceu, nos dando a esperança de uma grande expansão de histórias épicas dentro desta vasta e grande galáxia criada por George Lucas.

Comentários