Resenha | Daisy Jones & The Six — Taylor Jenkins

Daisy Jones & The Six conta a história de Daisy, a protagonista, nascida em uma família problemática da classe alta que desde pequena já demonstrava grande talento, tanto na voz quanto na sua escrita e Billy criador da banda de rock The Six, mundialmente conhecida nos anos 70. Assim como em Evelyn Hugo e seus sete maridos, Jenkins apresenta uma narrativa totalmente diferente de outros autores, passando a impressão de que seu livro é uma biografia, narrada sob diferentes pontos de vista e por diferentes personagens, ou seja a fórmula Jenkis.

Com essa dualidade, entre ficção e realidade, Taylor retrata as origens de Daisy Jones & The Six, desde o nascimento até o auge da fama, turnês comparadas a grande nomes da música, como The Beattles, Queen e Jagger. A forma com que apresenta os fatos e ambienta a história, dá a impressão de que essa banda realmente existiu. Um exemplo disso foi a criação de um álbum musical escrito e imaginado pela autora, além do clímax da história mostrando os bastidores dos acontecimentos. A obra também retrata temas importantes, como o vício em álcool e drogas, aborto, feminismo e, principalmente, a fórmula para atingir o sucesso e o declínio de uma carreira de um astro do rock, mostrando realmente o preço da fama.

“[…] A gente nunca deixa de ser quem é, né? A gente continua sendo quem sempre foi. Mas às vezes…Às vezes vira uma pessoa de merda.”

Um dos fatores que merece destaque é o Feminismo, principalmente na Hollywood dos anos 50, 60 e 70, onde a mulher era representada de forma submissa ao homem, como na passagem:

“[…] Ou se comportava como um dos caras – que foi o caminho que resolvi seguir – ou dava uma de menininha e tentava ganhar todo mundo na base do charme.”

Diferentemente do que se esperaria de uma mulher, Daisy corre atrás de seus sonhos, veste o que bem entende, além de mostrar que é a dona do seu próprio nariz, que não precisa agradar ninguém além dela mesma.

Eu não tenho o menor interesse em ser a porra da musa de alguém. Eu não sou a musa. Eu sou esse alguém. E assunto encerrado.”

Se você busca uma literatura que lhe tire da zona de conforto, com reflexões sobre a vida, relação de aceitação, ou está apenas buscando sair da ressaca literária, saiba que este é o livro perfeito para você. Apenas é preciso avisar que Daisy Jones & The Six é viciante e, provavelmente você não vai conseguir parar de ler até terminar.

Leia também:  Crítica | #ALIVE (2020)

O livro foi lançado em 5 de março de 2019 e há notícias de que a Amazon Prime Video fará uma série com a adaptação da história. Contudo, ainda não há uma data de lançamento. A série deve contar com 13 episódios e tem cotado Sam Claffin como um dos atores para o papel de Billy Dune.

5.0

DE 5

Breno
Apenas um amante de música, cultura pop e de entretenimento como fogo no parquinho.