Especial | Conheça 5 invenções brasileiras que mudaram o mundo

Nada de síndrome do vira-lata por aqui! O Brasil também foi casa de várias invenções que revolucionaram o mundo, e escolhemos algumas para você se orgulhar de ser brasileiro junto com a gente!

Soro Antiofídico

O soro antiofídico é um medicamento criado para combater o veneno de espécies peçonhentas. Seu inventor foi médico imunologista brasileiro Vital Brasil, em 1901, que teve como base as terapias antiofídicas de Albert Calmette. O francês Calmette desenvolveu um soro para tratar as picadas das Naja Naja, mas foi Vital Brasil quem fez a descoberta de que a funcionalidade dos soros estava ligada ao gênero das serpentes. A invenção é reconhecida mundialmente, estando presente na lista de medicamentos essenciais da OMS.

Avião

Considerado o maior inventor brasileiro, Alberto Santos Dumont transformou o mundo ao apresentar uma nova forma de transporte. Até hoje existem polêmicas quanto ao seu crédito, já que em outros países sua criação é creditada aos irmãos estadunidenses Wright ou ao francês Clément Ader, mas foi Dumont quem percorreu, em 1906, mais de 200 metros no ar sem encostar no chão com seu 14-bis, observado pelos olhos do público.

Identificador de chamadas

Em 1977, o eletrotécnico Nélio José Nicolai deu origem a um aparelho que permitia identificar de onde eram as ligações. O identificador de chamadas foi batizado de Bina, e não demorou a se popularizar no mundo inteiro. Sim, é graças ao Nélio que você deve agradecer quando bloqueia a ligação de um número aleatório de Uberlândia.

Painel eletrônico

O cearense Carlos Eduardo Lamboglia mudou o mundo do futebol, sendo o responsável pela criação do painel mais utilizado nos jogos do esporte. Carlos notou a necessidade de criar as placas enquanto assistia a um jogo e achou difícil ver o placar com as plaquetas de madeira da época. Após muitas rejeições, o placar foi patenteado em 1996, e hoje é utilizado nas Copas do mundo.

Relógio de pulso

Mas se a patente do avião é disputada até os dias de hoje, Santos Dumont ganha o crédito por outro item: relógios de pulso. Em 1904, cansado de puxar o relógio do bolso enquanto pilotava, pediu ao amigo Louis Cartier para criar um dispositivo que ficasse em seu pulso, de maneira fixa.

Fontes: Super Abril, Consumidor moderno, Portal R7

Eduarda Suily
Bookaholic, estudante de jornalismo, amante de idiomas e cultura. Gosta de ler livros e criticar. E de ler história nos tempos livres. E, no CN42 escreve sobre isso.