Dirigido por Brad Anderson e protagonizado por Sam Worthington e Lily Rabe, Fractured é um longa de suspense produzido pela Netflix e lançado em 22 de setembro de 2019.

Na trama, após um acidente com a filha, Roy (Sam Worthington) e sua esposa (Lily Rabe), correm até um hospital à beira da estrada para socorrê-lá. Porém, Roy começa a se desesperar após perceber que a filha e sua esposa desapareceram dentro do hospital, e fica convencido de que todos à sua volta estão mentindo e ocultando a segredos sobre o hospital e impedindo que ambas pudessem deixar o local.

Fractured, é um daqueles longas que, se analisarmos os primeiros minutos, que a maioria acredita — e com razão — serem cruciais para cativar quem está assistindo e prender a atenção do espectador, teríamos um longa com uma baixa taxa de retenção do público (possivelmente). Isso porque Fractured, aparenta ter uma abordagem genérica, com uma narrativa simples e previsível durante os primeiros minutos. Você certamente irá perceber os acontecimentos, se sentir aflito em determinados momentos no início do filme e, então, começar a questionar se deve ou não continuar assistindo, uma vez que tudo está caminhando do jeito que você calculava.

No entanto, se você é um dos que estão dispostos a dar uma chance à produção e assistir além dos minutos iniciais, poderá se surpreender com uma trama que, como foi citado anteriormente, tem todos os elementos para parecer simples e previsível, mas que, com o decorrer da narrativa, novos elementos começam a surgir, tornando a trama cada vez mais complexa e te fazendo questionar a credibilidade de todos os personagens em cena e todos os acontecimentos até então mostrados no longa.

Lidamos durante todo o filme com elementos que nos fazem questionar o certo e o errado, o real e o irreal em todas as cenas e falas, onde ficamos questionando se tal personagem ou tal ação está certa, se algo de fato aconteceu ou se tudo e todos estão errados e o que estamos vendo é de exatamente o que o que imaginávamos desde o início. Isso acaba se transformando no seu maior trunfo do longa: a capacidade de transformar uma trama simples em uma narrativa impressível que prende a atenção de quem assiste ao longo de todo o filme.

O envolvimento dos personagens e os acontecimentos do segundo ato, tornam os nossos pensamentos ainda mais conflituosos sobre o que é real ou não, e isso acaba nos causando um desconforto emocional pela ânsia de saber à que fim tudo aquilo levará.

Para quem a procura um suspense “bacana”, Fractured poderá ser uma boa escolha.

3.0

de 5

1 COMENTÁRIO

Comentários