Era uma vez, outra vez; E a nossa querida vilã está de volta, num novo longa que traz muitas revelações sobre a “Dona do Mal”.

Como foi revelado nos trailers, Malévola terá agora que aceitar o novo futuro de Aurora, agora que está noiva de Philip, porém os futuros sogros (ou sogra) não são fáceis de lidar.

Ingrith, a Rainha Mãe do Príncipe, guarda um rancor antigo dos Mors e está disposta a tudo para matá-los, porém a raça dos seres das trevas (seres como a Malévola) também estão querendo comprar briga, o que acaba resultando numa guerra entre eles.

A Disney mostra mais uma vez que tem os melhores especialistas de Hollywood, o filme tem uma linda fotografia, os figurinos são incríveis, como de costume, e a maquiagem está perfeita. Quanto melhor for a qualidade de imagem da sala de cinema que você for conferir o filme, mais detalhes vislumbrantes da produção você irá ver.

Quando ao enredo, não surpreende o expectador, e deixa muitas brechas antecipadas do que vai acontecer ao longo do filme, mas as atuações estão espetaculares, com um elenco de peso, Angelina Jolie mostra por que o filme é seu, Michelle Pfeiffer brilha como a Rainha Ingrith, e não vamos nos esquecer das participações de Chiwetel Ejiofor e Ed Skrein (sim, o zoado Ajax está nesse longa) são importantes para revelar alguns detalhes sobre a Malévola.

E o nosso novo Philip, Harris Dickinson está muito bem no personagem, Elle Fanning como sempre adorável como Aurora e não esquecendo de Sam Riley, como o inseparável corvo de Malévola.

Malévola: A Dona do Mal é uma simples história de conto de fadas que nos mostra o quanto o ódio pode nos cegar e nos levar a limites extremos.

3.5

de 5

1 COMENTÁRIO

Comentários