Os mundos fantásticos estão presentes na cultura pop há muitos anos. Desde a literatura de Tolkien ou filmes de Spielberg, entre outros grandes autores que nos presentearam com histórias e personagens incríveis que nos levam a outros mundos e realidades. Assim fez Aaron Ehasz e Justin Richmond com a série animada, O Príncipe Dragão, distribuída pela gigante de streaming, Netflix, que nos apresenta um mundo extraordinário repleto de magia e seres fantásticos, com comparações dignas a Senhor dos Anéis e sua Terra Média, ou o mundo de As Crônicas de Nárnia.

A série conta a história de dois jovens príncipes humanos e uma guerreira elfa, Callum, Ezra e Rayla, que se unem em meio a guerra entre os elfos e humanos, para um bem maior. O Príncipe Dragão é um prato cheio para fãs de fantasia, por conta do mundo onde é habituada, personagens carismáticos, conflitos entre reinos e raças, e claro como sugere o título da série, dragões!

Ehasz e Richmond apresentam uma narrativa clichê, porém intrigante, onde elfos e humanos são inimigos mortais, depois que os humanos aproveitam de criaturas mágicas para utilizar magia negra, o povo de Xadia os expulsou para o outro lado do continente, onde foram criados cinco reinos humanos. Durante o conflito, os humanos acabaram assassinando o guardião da fronteira entre os reinos, o rei Dragão Thunder.

Assistir a série é como ler um livro de literatura fantástica onde os protagonistas passam por inúmeras aventuras, dramas e vários mistérios que vão ficando pendurados, um a um, aguardando resolução. Além de abrir espaço para discussões importantes para o mundo atual em que vivemos, como o preconceito, e especialmente, violência, fazendo com que a série tenha uma trama seria, com dramas, reflexões, ação, piadas e alívios cômicos bem colocados, tornando-a interessante não só para crianças, mas também para adultos.

Lembrando também a qualidade técnica da produção de O Príncipe Dragão, que tem seus pontos fortes nos efeitos em 3D, onde as expressões dos personagens os tornam muito cativantes e carismáticos, e a trilha sonora do alemão Frederik Wiedmann, que nos coloca numa atmosfera ainda mais fantástica ao decorrer da trama da série.

O Príncipe Dragão tem uma riqueza sem igual em sua história, consegue unir todos estes clichês sem cair na mesmice, a cada nova etapa, uma nova missão secundária aparece para novas aventuras e personagens incríveis, fazendo com que o espectador não caia no tédio e mantém sua atenção até o final de cada episódio. Por conta disso, a série já possuí três temporadas no catálogo da Netflix, disponíveis com áudio original e em português (no qual a dublagem está de parabéns).

E você já assistiu a série? Conte para nós o que achou.

Comentários