fbpx

The Mandalorian | Impressões do 3º episódio da 1ª temporada

O novo episódio de The Mandalorian, The Sin, mantém a alta qualidade dos seus anteriores, e afirmo que a cada capítulo fica ainda melhor. As grandes referências aos guerreiros misteriosos do Japão feudal, e ao mesmo tempo para pistoleiros do faroeste, mostram o quanto que, quando bem trabalhado, o universo de Star Wars pode surpreender sem o uso dos Sith, Jedi e sabres de luz.

Dirigido pela talentosa Deborah Chow (Better Call Saul), o novo capítulo nos leva de volta aos cenários do primeiro episódio, onde o anti-herói Mandaloriano, entrega o já famoso “Baby Yoda” para o misterioso personagem de Werner Herzog. Porém em um clichê de anti-heróis que reveem sua postura e decidem voltar atrás, Mando, quebra o código da guilda de caçadores de recompensa para resgatar a criança das mãos de seus contratantes. O que acaba gerando ótimas cenas de ação (que lembram muito Hard Boiled de Jon Woo), muito bem dirigidas por Deborah Chow, que comanda as cenas de ação com posicionamentos precisos de câmera e uma decupagem digna de clássicos filmes de faroeste. Isto deixa os fãs da saga ainda mais alegres, pois ela é quem dirigirá todos os episódios da série do Obi Wan Kenobi pelo Disney+.


Neste capítulo, podemos nos aprofundar mais no background do protagonista, em uma cena que revela um pouco mais sobre o quartel general dos Mandalorianos nos mostrando um pouco mais de sua mitologia. Embora já seja conhecida por certos fãs que assistiram as animações Clone Wars e Rebels, que tem em seus melhores episódios, os arcos de Mandalorianos.

The Sin reúne as doses exatas de desenvolvimento de personagem, mitologia e ação de tirar o capacete, que nos mostra o quanto Jon Favreau está se desempenhando para expandir o universo da saga e tornar ainda mais bela e fantástica a galáxia muito, muito distante… E bom, se a escolha para acrescentar novas histórias para o universo de Star Wars, este é o caminho!

Leia também:  Big Brother Brasil 20 | Conheça os participantes desta edição
Leonardo Vieira
Fã de quadrinhos e cinema, futuro jornalista e amante de robôs gigantes!